Crítica Crónica de António Carlos Cortez

«Estas crónicas pejadas de crítica são um acto nascido da vontade de ser livre e de pensar e agir num Portugal que me parece, na actualidade, regredir em muitos aspectos da nossa vida colectiva.»

Professor, poeta, crítico literário e ensaísta, António Carlos Cortez estreou-se na «difícil arte de fazer crónica» em 2011, numa rubrica regular no jornal Público sobre cultura, educação, sociedade e, aqui e ali, política. Praticamente uma década depois, o autor reuniu os textos publicados no livro Crítica Crónica, editado pela Guerra e Paz, ainda em 2020. Porém, só agora esta antologia crítica chega às livrarias, devido a questões de distribuição, adensadas pela crise pandémica. Crítica Crónica estará disponível a partir de hoje nas livrarias online e no site da editora. 

Foi entre o ardor imediatista e a ponderação ensaísta que António Carlos Cortez publicou, ao longo da última década, crónicas em que refletiu sobre os grandes temas da vida colectiva, como a educação – que muito o preocupa –, os livros, a poesia – à qual tanto se tem dedicado –, o estado das coisas, o mundo e até a política, que afinal está por toda a parte.

Textos sobre o ensino do Português, sobre a alienação que o digital promove, mas também textos sobre a escrita como coisa viva, gesto que procura pensar a pólis.

O professor e autor reuniu estes textos de intervenção, em nome da cultura e de uma educação ilustrada, numa antologia a que deu o título Crítica Crónica, por ser crónica a inclinação que o autor tem para pensar, criticar e partilhar inquietações. Agora Crítica Crónica rompe esta vaga pandémica, que tantas questões sociais e éticas levanta, e chega às livrarias portuguesas.

Ainda que apenas online, o livro pode ser adquirido, com toda a segurança, a partir de hoje e inspirará, certamente, os leitores a uma reflexão. É que esta edição não teme o politicamente correcto, num tempo adverso à crítica como estimuladora de pensamento e de Boas Leituras!

Author: Sílvia Reis

Professora de Inglês e Alemão e tradutora é, hoje em dia, mãe a tempo inteiro e trabalhadora multi-funções em part-time. O pouco, muito pouco, tempo livre que lhe resta, é utilizado para ler. Podem segui-la no Blog O Dia da Liberdade, no facebook e no instagram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *