Opinião “A Terceira Índia” de Iris Bravo

Título: A Terceira Índia

Autora: Iris Bravo

Edição: Julho 2020

Páginas: 484

Editora: Cultura Editora

ISBN: 9789898979551

Sinopse

Sofia tem 32 anos, é professora num colégio em Lisboa e casada com um arquiteto de uma família nobre ribatejana. Ele conservador e ela liberal, não tinham nada em comum quando se apaixonaram numas férias de verão dez anos antes. Viveram um namoro feliz seguido de um casamento de sonho, desgastado pela sua obsessão por uma gravidez.

Quando descobre que foi traída, Sofia aceita uma proposta para substituir a sua mentora e viaja para o interior de Moçambique.

Disposta a viver aventuras, envolve-se com Alex, um homem que a atrai, apesar dos seus modos secos e do pressentimento de que lhe esconde algo.

Corajosa e determinada, Sofia irá descobrir tudo aquilo de que é capaz, incluindo arriscar a sua vida.

COMPRAR

Opinião

Estava com uma expectativa muito elevada em relação à leitura deste livro. Parti da premissa de que a narrativa iria girar em torno de um casal com problemas de infertilidade que iria recorrer à medicina para tentar ultrapassar a situação.

Começo a perceber logo nos primeiros capítulos que não vai corresponder à espectativa que tinha criado e que o género literário não é, de todo, o meu género.

Deparei-me com um romance muito leve, cheio de detalhes sem interesse, demasiado repetitivo, com imensas situações que nada têm que ver com a ideia inicial e que só servem para encher páginas e dar volume ao livro, em nada acrescentando valor à narrativa.

Um tema tão sério e delicado como a infertilidade, com tanto potencial para ser explorado, mas em vez disso a autora dá ênfase a sentimentos românticos, preconceitos da alta sociedade e intrigas menores.

Quando Sofia, a personagem principal, descobre que o marido a traiu, nem quis acreditar no que se seguiu. Quase todas a personagens partilham do mesmo sentimento de que é normal um homem trair a mulher, tratando-se de um erro sem importância e que, de alguma forma, Sofia contribui para isso. Ao estar tão obcecada em engravidar não deu a devida atenção ao marido e, por essa razão, deixou-se seduzir por uma mulher que se mostrou disponível para ele. Fiquei chocada, não compreendo como se continua a passar mensagens como estas e com esta normalidade!

Mais para a frente, a narrativa alerta para questões sociais para as quais todos nós, enquanto consumidores, poderemos contribuir optando, por exemplo, por não consumir determinados produtos que fomentam a exploração infantil e a escravidão ou a produção intensiva de animais. Que pena estes assuntos não terem sido mais explanados. Teria sido um contributo de grande valor.

Para mim, este livro foi uma dupla desilusão. Para além de ser uma história com pouco sumo (excetuando a parte introdutória e a fase final), não tem um desfecho, o final fica em aberto para nos obrigar a ler a continuação (que deverá estar para muito breve).

Tive mesmo pena que enredo fosse tão banal e com tão pouco interesse. Pensei que ia entrar na vida de uma mulher que se depara com a dificuldade de engravidar, mas acima de tudo, presumi que ia encontrar uma história de coragem e de superação. Em vez disso, deparei-me com personagens cheias de falsos moralismos, descrições românticas intermináveis e jogos de sedução sem qualquer tipo de interesse.

Um livro repleto de potencialidades, mas que, afinal, só vai agradar a leitores que apreciam este tipo de romanches cor-de-rosa e sentimentalistas.

Boas Leituras ❤️

Author: Ana Rute Primo

Licenciada em Educação, com especialização em Pedagogia Social e da Formação, empreendedora e autodidata do mundo digital, apaixonada por livros (tanto faz que sejam em papel como em formato ebook), viciada em bibliotecas e livrarias, adora animais e a natureza, preza o silêncio e o bem-estar físico e emocional. Traz sempre a família no coração. Podem segui-la no instagram em https://www.instagram.com/anaruteprimo .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *