Opinião «Casa de Dia, Casa de Noite» de Olga Tokarczuk

Título: Casa de Dia, Casa de Noite

Autora: Olga Tokarczuk

Edição: Junho 2021

Tradução: Teresa Fernandes Swiatkiewicz

Páginas: 352

Editora: Cavalo de Ferro

ISBN: 9789895644148

Sinopse

Casa de Dia, Casa de Noite, primeiro romance-constelação de Olga Tokarczuk, foi vencedor do Prémio Günter Grass e do Prémio Nike ainda antes de a autora receber o Prémio Nobel.

A vida na pequena cidade de Nowa Ruda, situada no coração da Europa, num território de passagem e de fronteiras instáveis, onde povos, guerras e regimes se sucedem, não é tão simples como aparenta ser. Os seus mais recentes habitantes polacos ocuparam as casas deixadas vazias pelos alemães em fuga no final da guerra, e nos bosques em redor há muitos segredos que se escondem debaixo da terra.

Com a ajuda de Marta, a sua velha e sábia vizinha, a narradora deste romance, recém-chegada à cidade, vai reunindo as histórias surpreendentes deste lugar, compondo um novelo de mitos, sonhos, episódios anedóticos, que muitas vezes transcendem o visível e o racional, misturando passado e presente.

COMPRAR na WOOK

COMPRAR na BERTRAND

Opinião

Este é um livro bem estranho, nada convencional, com uma escrita experimentalista e algo poética. Não consegui apreciar a leitura.

Embora a escrita seja fluida, não há um fio condutor óbvio entre as personagens, nem as suas histórias individuais. Estamos perante pensamentos soltos, divagações e considerações filosóficas sobre a vida, a morte, o tempo, Deus (disso gostei) intercalados com vivências meio obscuras e receitas de culinária.

Já conhecia esta faceta esotérica da autora que está muito presente em Conduz o Teu Arado sobre os Ossos dos Mortos, uma leitura que gostei muito mais de fazer do que esta.

Achei que esta leitura não teve qualquer nexo, a construção das personagens é completamente aleatória, as histórias pessoais mais parecem aqueles sonhos esquisitos e sem lógica que todos nós temos. Assemelha-se mais a um livro de contos estapafúrdios do que a um romance.

Lá consegui terminar, com algum esforço, pensei que o final daria um sentido a tudo, que tivesse uma desfecho, mas não. Ficou tudo sem nexo, mesmo.

Este livros fez-me lembrar O Elefante Evapora-se de Haruki Murakami.

Boas Leituras ❤️

Author: Ana Rute Primo

Licenciada em Educação, com especialização em Pedagogia Social e da Formação, empreendedora e autodidata do mundo digital, apaixonada por livros (tanto faz que sejam em papel como em formato ebook), viciada em bibliotecas e livrarias, adora animais e a natureza, preza o silêncio e o bem-estar físico e emocional. Traz sempre a família no coração. Podem segui-la no instagram em https://www.instagram.com/anaruteprimo .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *