Opinião: «Os Anagramas de Varsóvia» de Richard Zimler

Título: Os Anagramas de Varsóvia

Autor: Richard Zimler

Edição: Setembro 2015

Tradução: Maria Abreu

Páginas: 352

Editora: Porto Editora

ISBN: 978-972-0-04728-1

Sinopse

Polónia, ano de 1940.

Os nazis isolam milhares de judeus num pequeno gueto em Varsóvia. Erik Cohen, um velho psiquiatra judeu, vê-se obrigado a partilhar um pequeno apartamento com a sobrinha e o adorado sobrinho-neto de nove anos, Adam.

Certo dia, porém, Adam desaparece e o seu corpo, estranhamente mutilado, só é encontrado na manhã seguinte, no arame farpado sobre o muro que rodeia o gueto. Quando um segundo cadáver aparece em circunstâncias muito similares – desta vez o de uma rapariga judia -, Erik e o seu velho amigo Izzy tentam obter respostas, lançando-se numa investigação tão sinistra quanto perigosa.

O mistério adensa-se e as dúvidas também. Serão os próprios nazis responsáveis por aquelas mortes ou estará um traidor judeu envolvido nos crimes?

Neste thriller histórico, comovente e arrepiante, Richard Zimler conduz o leitor aos recantos mais sombrios de Varsóvia, num périplo pela própria alma humana.

COMPRAR na WOOK

COMPRAR na BERTRAND

Opinião

A pergunta que me assaltou quando comecei a ler o livro foi: “Mas o Richard Zimler passa a vida a encontrar manuscritos escondidos algures?” Fico, sinceramente, intrigada, mas, tendo o cunho do autor, já sei que é garantia de uma boa leitura.

E foi o que aconteceu. Passamos a maior parte da narrativa dentro de um gueto de Varsóvia à procura de um assassino que guarda troféus das suas vítimas, algo desconcertantes. Embora o gueto tenha sido murado pelos nazis, de vez em quando há quem consiga de lá sair, mas nem sempre voltar.

Uma história sobre a desumanização, o preconceito e o horror tão característicos da Segunda Guerra Mundial, mas enquadrada no drama pessoal da personagem principal, Erik, um psiquiatra judeu, e no seu percurso de resiliência e determinação apesar das circunstâncias em que se encontra.

Claro que haveria muito mais a dizer, mas penso que se o fizesse, iria retirar o fator surpresa da vossa leitura. Eu, que não gosto de ler sinopses porque revelam demasiado, não vos iria fazer isso.

Boas Leituras ❤️

Author: Ana Rute Primo

Licenciada em Educação, com especialização em Pedagogia Social e da Formação, empreendedora e autodidata do mundo digital, apaixonada por livros (tanto faz que sejam em papel como em formato ebook), viciada em bibliotecas e livrarias, adora animais e a natureza, preza o silêncio e o bem-estar físico e emocional. Traz sempre a família no coração. Podem segui-la no instagram em https://www.instagram.com/anaruteprimo .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *