Opinião: «Uma Janela com Vista sobre os Telhados» de Suzanne Kelman

Título: Uma Janela com Vista sobre os Telhados

Autora: Suzanne Kelman

Edição: Junho 2020

Tradução: Jorge Pereirinha Pires

Páginas: 412

Editora: Planeta

ISBN: 9789897773631

Sinopse

1941, Amesterdão está ocupada pelos nazis. Uma inesquecível história de amor, esperança e traição, e um testemunho da coragem da Humanidade nos dias mais negros da História.

Quando os nazis ocupam a sua adorada cidade, o professor Josef Held sente-se impotente. Mas, ao descobrir que o antigo aluno Michael Blum anda a tentar fugir à Gestapo, oferece-lhe abrigo no seu sótão.

Na serena obscuridade desse aposento secreto, Michael fala-lhe da sua bela e destemida namorada, Elke, e garante que nem mesmo os nazis conseguirão separá-los. Mas Elke é uma rapariga holandesa não judia, e a sua relação é estritamente proibida.

Josef vê a determinação apaixonada no olhar do jovem amigo. Enfurecido com as regras impostas pelos cruéis soldados alemães e lembrando-se do seu próprio desgosto amoroso, sente-se desesperado para oferecer uma oportunidade ao amor de Michael e Elke. Mas é então que a tragédia o atinge e Josef é confrontado com uma escolha impossível.

Nos dias sombrios da guerra, com o perigo e a traição a cada esquina, não se pode confiar em ninguém. Para que Michael sobreviva e regresse para junto da mulher que ama, caberá a Josef encontrar o herói que há dentro de si, e fazer tudo que for preciso para manter Michael vivo. Mesmo que isso signifique colocar a sua vida em risco.

Uma bela e enternecedora história sobre coragem, altruísmo e sacrifício.

COMPRAR na WOOK

COMPRAR na BERTRAND

Opinião

Estamos na Amesterdão ocupada pelos nazis em plena Segunda Guerra Mundial. É a partir deste cenário que se desenrola a nossa história. Diria que, apesar do enquadramento, esta é uma leitura leve, bonita, mas que explora pouco a realidade vivida e sentida dessa ocupação, ainda que esteja retratada, mas de uma forma muito breve.

As personagens são demasiado bondosas, corajosas, perfeitas, heroicas, sempre prontas a enfrentar o perigo em função do outro, ou, pelo contrário, são demasiado vis, egoístas e fúteis, sem o mínimo de empatia pelo outro. Não encontramos aqui um meio-termo, isto é, pessoas normais que vivem com os seus medos e receios, privadas da sua liberdade, oprimidas.

Está demasiado romantizado, mas nem só de amor ao próximo trata esta leitura. Dela também faz parte a tragédia e o medo. Sendo previsível não o é em demasia. Não tendo sido uma leitura espetacular, foi uma leitura agradável.

Se gostaram de O Rouxinol de Kristin Hannah ou de Abandonada por Amor de Roxanne Veletzos, vão gostar também deste livro.

Boas Leituras ❤️

Author: Ana Rute Primo

Licenciada em Educação, com especialização em Pedagogia Social e da Formação, empreendedora e autodidata do mundo digital, apaixonada por livros (tanto faz que sejam em papel como em formato ebook), viciada em bibliotecas e livrarias, adora animais e a natureza, preza o silêncio e o bem-estar físico e emocional. Traz sempre a família no coração. Podem segui-la no instagram em https://www.instagram.com/anaruteprimo .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *