Parem de se Privar, do Dr. David Khayat

Abaixo a perfeição. Viva o prazer. David Khayat em defesa das batatas fritas e contra a culpa, para uma vida mais feliz

Pare de querer ser outra pessoa. Cultive a pessoa que é. O conselho é de David Khayat, médico oncologista, fundador do Instituto Nacional do Cancro, em França, e autor do livro que promete mudar a vida de todos quantos vivem à sombra da culpa, Parem de se Privar, que a Quetzal faz chegar às livrarias mesmo a tempo de se entregar aos prazeres dos dias mais longos que anunciam a chegada do verão.


Com tradução de Sandra Silva, Parem de se Privar, do Dr. David Khayat, é um manual contra a ditadura do higienismo e a perfeição apregoada pela sociedade das dietas e da distorção da imagem pessoal. «A beleza absoluta não existe, tal como a saúde absoluta», escreve David Khayat, que defende o equilíbrio de excessos como solução para uma vida mais saudável. Para lidar com a roleta russa da vida, é necessário sermos sensatos, equilibrados e espirituosos. E, sim, beber vinho, namorar – e comer batatas fritas! – está incluído.


«Bastará alterar alguns comportamentos quotidianos para começar a sentir-se melhor na sua pele e livrar-se do pior inimigo da sua saúde: a culpa. Se eu consegui, por que razão não haveria o leitor de o conseguir também? Sim, vou questionar algumas verdades estabelecidas e colocar à sua disposição todo o meu conhecimento médico e científico – uma experiência de mais de quarenta e cinco anos – para ajudá-lo da forma mais simples do mundo a viver mais dez anos com uns pequenos deslizes. Não é uma promessa, é uma certeza».

Sinopse do livro:
Comer, beber, procurar o prazer de viver, libertar-se da culpa – o antigo diretor de oncologia do Hospital PitiéSalpêtrière, e fundador do Instituto Nacional do Cancro em França, propõe um regresso à «arte de viver» contra o «mau ambiente» criado pelo abuso dos gurus das dietas e regras nutricionais: é necessário procurar uma ligação (que existe na natureza) entre a alegria de viver e o bom senso que faz da nossa vida um acontecimento agradável. O problema é que tanto os excessos médicos como as ditaduras das dietas procuram sitiar-nos com o sentimento de culpa, a pior das ameaças à nossa vida.

O nosso horizonte de vida foi prolongado pela melhoria das condições de vida, da higiene pública, da vacinação e da queda da mortalidade infantil. No restante, devemos preocupar-nos em viver bem, o que implica questionar os interditos e obrigações crescentes que transformaram a nossa vida num inferno. Todos ouvimos falar de pessoas que morrem magras, praticando desporto, fazendo dietas vegetarianas; e todos sabemos de um avô distante que bebeu vinho às refeições e fumou e que ultrapassou os 90 anos. Para lidar com a roleta russa da vida, é necessário sermos sensatos, equilibrados e espirituosos. E, sim, beber vinho, namorar e comer batatas fritas está incluído.

COMPRAR na WOOK

COMPRAR na BERTRAND

Sobre o autor:
David Khayat nasceu na Tunísia, em 1956; a sua família emigrou em 1961 para França e fixou-se em Nice, onde iniciou os estudos de Medicina, antes de os aprofundar em Paris, Nova Iorque ou Israel. Foi diretor dos serviços de oncologia do Hospital Pitié-Salpêtrière de 1997 a 2017, fundador e diretor do Instituto Nacional do Cancro em França e presidente de uma fundação na área da oncologia, além de conselheiro da Presidência da República para essa área. Publicou vários livros sobre o cancro e a dieta contra o cancro. Se não fosse médico, teria sido cozinheiro.


Sobre o livro:
Género: Saúde e Bem-Estar

Vida Saudável

Formato: 14 x 21 cm

N.º de páginas: 192

PVP: € 17,70 | ISBN: 9789897227660

Author: Sílvia Reis

Professora de Inglês e Alemão e tradutora é, hoje em dia, mãe a tempo inteiro e trabalhadora multi-funções em part-time. O pouco, muito pouco, tempo livre que lhe resta, é utilizado para ler. Podem segui-la no Blog O Dia da Liberdade, no facebook e no instagram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *