Regresso a Um Cenário Campestre, de Nuno Júdice

REGRESSO A UM CENÁRIO CAMPESTRE & GRANDE PRÉMIO DE POESIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO

Publicado pela Dom Quixote, Regresso a Um Cenário Campestre, de Nuno Júdice, acaba de ser anunciado vencedor, por unanimidade do júri, do Grande Prémio de Poesia Maria Amália Vaz de Carvalho, atribuído pela Associação Portuguesa de Escritores com o patrocínio da Câmara Municipal de Loures.

O júri, constituído por Luís Filipe Castro Mendes, José Manuel de Vasconcelos e Paula Mendes Coelho justificou assim a decisão: “Regresso a um Cenário Campestre reflecte um momento pessoal e universal, momento de paragem mas não de estagnação. Recuperando uma empatia com a natureza, reivindicando o desejo e o amor aqui e agora, garante da possibilidade de um depois.”

Sinopse

Regresso a um Cenário Campestre é um livro que começou a ser escrito nos últimos meses de 2019 e terminou na transição da epidemia para a pandemia, já em 2020. É um trabalho sobre as transformações resultantes da época que vivemos, em que se inclui uma sátira ao politicamente correcto e ao apagamento ou revisão da História. Os temas do amor e da natureza estão igualmente presentes na linha de livros anteriores, seguindo o jogo entre memória e imagem que é dominante na fase mais recente da poética de Nuno Júdice.

COMPRAR na WOOK

COMPRAR na BERTRAND

Sobre o Autor:

Nuno Júdice nasceu na Mexilhoeira Grande, Algarve, em 1949. Formou-se em Filologia Românica pela Universidade Clássica de Lisboa. É professor associado da Universidade Nova de Lisboa, onde se doutorou em 1989 com uma tese sobre Literatura Medieval. Entre 1997 e 2004 desempenhou as funções de Conselheiro Cultural e Director do Instituto Camões em Paris. É autor de estudos sobre a teoria da literatura e literatura portuguesa.

O seu primeiro livro de poesia – A Noção de Poema – data de 1972. Recebeu os mais importantes prémios de poesia portugueses. Tem livros traduzidos em várias linguas, destacando-se Espanha, onde tem uma antologia na colecção «Visor» de poesia, e França, onde está publicado na colecção Poésie/Gallimard. Dirigiu, até 1999, a revista Tabacaria da Casa Fernando Pessoa. Em 2009 assumiu a direcção da revista Colóquio-Letras da Fundação Calouste Gulbekian.

Em 2013, foi distinguido com o XXII Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana (Espanha); em 2014, com o Prémio de Poesia Poetas del Mundo Latino Victor Sandoval (México); em 2015, com o Prémio Argana de Poesia, da Maison de la Poésie de Marrocos, e o Prémio Literário Fundação Inês de Castro – Tributo de Consagração; e, em 2016, com o Prémio Internacional de Poesia Europa in Versi/Prémio Carreira (Itália) e o Prémio El Ojo Crítico Iberoamericano de Radio Nacional de Espanha.
Em 2019, com O Mito de Europa, recebeu o Prémio Literário Francisco Sá de Miranda.

Author: Sílvia Reis

Professora de Inglês e Alemão e tradutora é, hoje em dia, mãe a tempo inteiro e trabalhadora multi-funções em part-time. O pouco, muito pouco, tempo livre que lhe resta, é utilizado para ler. Podem segui-la no Blog O Dia da Liberdade, no facebook e no instagram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *